quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Cena 11

foto capturada na internet
Essa migração
é uma dor que dilacera
névoa tangente, pedra dura
até chegar ao nada

nos corpos desavivados, nos lábios ressequidos
línguas que violam a  dor

fome afogada

ao sabor da água como se fosse alimento
os corpos nela espalhados

no licor do esquecimento 
são uma lição escatológica da vida 
em si mesma mitigada. 

         (José Carlos Sant Anna)

8 comentários:

  1. É um problema trágico, registrado nesta tua crônica de época em versos.

    ResponderExcluir
  2. Disse bem... uma dor que dilacera. Até quando?

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  3. Um caminho de uma dor latejante, imersa na desertificação
    humana, é urgente a soma dos gritos de reconhecimento da
    irmandade da nossa raça humana...
    Este teu poema é magistral, belo e tocante, ecoando
    esse grito solidário, José Carlos!!
    Grande abraço de paz.

    ResponderExcluir
  4. Oi José Carlos!

    Passando para agradecer o (meu) privilégio de ser
    lida e comentada por ti...
    Um comentário tão belo, generoso e que reflete um
    olhar profundo, sensível e perceptivo (na excelência).
    Muito obrigada!!
    Grande abraço de paz.

    ResponderExcluir
  5. ¡Uyy!!!

    José Calos: hoy tu poema, llega a lo más profundo del alma, sin duda alguna. Un poema bellísimo que solloza por las grandes y arduas miserias del mundo Cuadros que vemos a diario, que nos ponen los pelos de punta, nos dan escalofríos y nos parten el corazón!!! ¡Y que impotencia sentimos Dios mío! Nosotros los de a pie! Pues bien poco podemos hacer, ésta situación desbordante está en las manos de los poderosos mandatarios gobernantes de M... Majaderos corruptos que no se mojan porque esta situación termine.
    Gracias por tu buen hacer, por tus letras que denuncian esta penosa pesadilla de miles de seres humanos que se quedan en el camino, escapando de la miseria y de la muerte.

    Hola un placer me ha entado el poema, aunque triste, no le quita un ápice de belleza.

    Te dejo mi gratitud por tu huella generosa y mi estima.
    Un abrazo y se muy muy feliz.

    ResponderExcluir
  6. Uma situação que dói em todos nós que assistimos seres humanos sendo jogados de um lado para outro, buscando um destino melhor, mercê da aceitação em países já saturados de imigrantes. Cenas que nos chocam e machucam a alma ao ver crianças chorando, pais desesperados, numa degradante humilhação pela dependência de serem abrigados em países que não os seus de origem.
    Soubeste bem, meu amigo, expressar este horror que a humanidade está vivendo nos tempos atuais.
    Fica meu carinho num beijo no teu coração,
    Helena

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Esperando que o amor invada os corações para que tenhamos, todos, um futuro melhor e sem cenas como esta, deixo aqui o meu beijo de bom dia.
    Não vim ontem e tive sintomas de saudades de suas palavras...

    Beijos, amigo

    ResponderExcluir