quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Rito de passagem


Últimos sinais na janela indiscreta
milhares testemunham à beira-mar
                              o rito de passagem
simbolicamente do velho para o novo

Despe-se inteiramente o velho?
Despojam-se dos galhos e ramos
as folhas secas abortando 
o derradeiro espinho das suas vestes?

Já não sangra a sua pele
já não sangra, e o caule verga,
entre tantas outras coisas,
sob o peso da lava-jato et caterva
faltando-lhe o oxigênio para as insolvências
que transbordam na secura do Cantareira

Ochampagne passado de mão em mão
evapora-se antes de beijar os meus lábios,
Finco as primeiras raízes do renascimento

Como saber o que cabe na esperança
dessa pátria pálida, envergonhada,
no fundo do seu nervo ótico?

Quanto deste sal estará evaporado
quando tiver passado a ressaca do réveillon?


                        José Carlos Sant Anna

10 comentários:

  1. Nunca se despe e nunca se despede completamente o ano velho,e é bom que assim seja, porque convém sempre lembrar o positivo e o negativo, pelas mais díspares razões.
    No teu poema, o velho ano já não sangra, embora tivesse de sucumbir bastante vergado devido ao peso dessa operação "lava-jato", que parece ter ainda muita lavagem por fazer. A corrupção passa de uns anos para os outros, e a esperança de uma "desinfecção" total parece surgir sempre neste rito de passagem de um ano para outro. Dramático, porém, que após a ressaca, a sujidade do ano velho, regresse em todo o seu "esplendor".
    Aquele abraço, Zé! Feliz Ano Novo, apesar dos pesares. :-)
    xx

    ResponderExcluir
  2. ¡Hola José!!!

    Nos dejas un muy bello e interesante poema envuelto en un montón de verdades.
    Y después de leer el comentario de Laura, poco queda por añadir.
    Excepto que el viejo año no sangra pero si dejó muchas hullas que no se borran con facilidad. Mas habremos de ser positivos y no perder la esperanza de que este mundo: de un cambio para bien, pues llegan nuevas generaciones que comienzan luchar por un mundo mas humano más justo y notros también podemos contribuir con palabras silenciosas.
    Solo deseo que este nuevo año que ya camina, siga la senda correcta para que en este Planeta, todos podamos vivir con dignidad.

    UN ABRAZO INMENSO LLENO DE LUZ DE AMOR Y DE PAZ, PARA TI Y LOS TUYOS, EN ESTE NUEVO AÑO QUE COMIENZA A CAMINAR, HABER SI EN LA BUENA DIRECCIÓN…

    Gracias por tus pisadas en mi humilde rincón.
    Con estima, MARINA.

    ResponderExcluir
  3. Um rito de passagem, simbolicamente do velho para
    o novo e os dias correm naturalmente sem nenhuma
    atualização desse rito, os problemas (País) aguardando
    as soluções e a vida sempre bela para ser vivida com
    alegria, dores, poesias e surpresas!...
    2016 no agora, José Carlos!
    Afetuoso abraço, Poeta.

    ResponderExcluir
  4. Boa noite José.
    É passamos para um novo ano, aprendendo com o velho e com esperança de um ano melhor. Uma feliz semana. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. A ilusão move vontades, José Carlos, e, nesse patamar, é dada permissão a todos os rituais. Por vezes é necessário dar lastro à ilusão, mesmo que saibamos (ou, em certos casos, talvez por isso) que nos vamos encontrar a seguir.

    Um profícuo 2016! :)

    ResponderExcluir
  6. Após a ressaca do réveillon... tudo volta às costumeiras atitudes... quando não haja interesse em mudar...
    E na política... raramente há interesse em mudar... interesses instalados... e tudo prossegue, como dantes... para mal dos nossos pecados!
    Um belíssimo poema... e um rito de passagem obrigatória, por aqui... para mim, neste novo ano, com toda a certeza...
    Abraço, José Carlos! Feliz Dia de Reis!
    Ana

    ResponderExcluir
  7. Depois de breve ausência por ter ficado sem PC, volto com saudades e esperando não mais me ausentar.
    Não despe-se inteiramente o velho pois sua a marca ficará para sempre em nós mas isso não é ruim; que renove-se sempre a esperança, é o suficiente.
    Tive saudades, é bom estar aqui outra vez :)
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. ... e o petróleo que está em baixa!
    Bem desnudado o velho, como será o novo? Virá lavado (a jato será violência mas se bem ensaboado(a), na beira do rio, poderá a situação resolver-se.
    Bom Ano!

    ResponderExcluir
  9. Só para agradecer a reluzente passagem pela minha humilde festa... iluminou tudo e me deixou muito feliz, além da conta.
    Obrigada por existir :)
    Beijos

    ResponderExcluir