quarta-feira, 23 de março de 2016

Engasgado

Nicoletta Tomas - Tutt'Art (24)

O que há de mais oculto
no poema engasgado:

se nele acho
a água
do teu corpo
das minhas
mãos
ainda intacto?


Ou se nele cavo e escavo
entre o silêncio
e o grito 
um jeito de domá-lo?

(José Carlos Sant Anna)

12 comentários:

  1. Cuerpos abrazados... Acariciando el alma... Cuerpos enlazados...

    Un beso.

    ResponderExcluir
  2. E nada engasgado, este poema, já que é brilhante.
    Gosto da escrita inteligente, parabéns.
    Uma PÁSCOA FELIZ, caro amigo José Carlos.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, que Poema Magnífico, único, mesmo!...
    O Poema se autoafirma na essência libertária
    e nas dobras do Dia em ti, um duelo de forças
    que retornam para a mesma fonte inspiradora...
    Adorei!!
    Afetuoso abraço, amigo!

    Ps:Se o Grande Poeta Audálio Alves tivesse
    acesso a este teu Poema, gostaria de
    ter assinado...rss

    ResponderExcluir
  4. O poeta entretecendo angústias um falso dilema?

    Do cabo ergonómico
    à ponta brilhante
    a maresia do gume
    imerge o dilema.

    Abraço


    ResponderExcluir
  5. Talvez a melhor resposta/decisão seja lavrar silenciosa e metodicamente, escavar e perfurar até encontrar água. O grito acontecerá consequentemente como uma espécie de "Eureka".
    Não há como engasgar! :-)
    A tela é linda, e o teu poema belo e desassombrado.
    Uma Páscoa feliz para ti e toda a família.
    xx

    ResponderExcluir
  6. Num momento engasgado... não haverá nada de oculto... apenas de profundo... para que desponte cedo demais, antes do seu próprio tempo de maturação!...
    Tudo tem o seu próprio tempo... até um poema engasgado!...
    Aproveitando, também para deixar os meus votos, de uma Santa e Feliz Páscoa, com saúde, alegria e paz, na companhia dos seus, José Carlos!
    Um grande abraço!
    Ana

    ResponderExcluir
  7. "Entre o silêncio e o grito", um belo poema.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Entre o silêncio e o grito é que se digere o poema.
    Imenso, José Carlos.Adorei!

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  9. Ai domar. Gosto desse verbo. Domar lembra possuir, se apoderar, controlar e prender. Aqui que ninguém nos ouve, toda a mulher gosta de ser domada, mesmo aquelas que se acham independentes e mandonas. rsrs
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Ai que saudade!!! Estive fora, o tempo correndo mais que eu mas volto agora trazendo minhas saudades... e encontro esse poema lindo e vejo pessoas super inteligentes e sensíveis tentando traduzí-lo; prefiro admirá-lo e tentar senti-lo... lindo demais!
    Beijos de saudade

    ResponderExcluir
  11. Engasgada fico eu diante de tamanha beleza...
    Vim deixar um beijo, meu amigo... e desejar que seu dia seja perfeito

    ResponderExcluir