segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Das férias em Belô



Hoje, 
depois do almoço,
à sobremesa, eu não degustei
como uma lua
vermelha 
                          lacerada
a tradicional iguaria de mineiros:
Romeu e Julieta

goiabada cascão
com cobertura de queijo
              ou doce de leite,

Também
sob o sol das veredas
entre mercados e restaurantes de Belô
com palitos ou colheres
não comi Romeu
                                               ou Julieta,

mas caí de boca,
espiral de voos
                                   e bicadas,

nuns bolinhos de estudante
jocosamente
conhecidos na minha terra
                          como punheta.

Encontrei-os, por acaso,
poeira morta dos caminhos,
no tabuleiro de uma baiana
do balaio grande
               e guelras inquietas. 

(José Carlos Sant Anna)



10 comentários:

  1. Amigo José Carlos,
    Gostei muito do seu “Das férias de Belô”. Vê-se aí, que o poeta trabalhou com muito cuidado na criação do seu poema, que, no meu sentir, está tudo no seu devido lugar. Excelente poema.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Doces por provar.

    Como sou muito gulosa, já salivo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi José Carlos,

    Que poema com o nome apropriado, de férias,
    com a leveza de brincar com as palavras no
    registro do teu talento poético e
    senso de humor contagiante!...
    Adorei!
    Boa continuação de férias com este
    alto astral, caro poeta!
    Bj.

    ResponderExcluir
  4. Uma férias que decerto satisfizeram as suas papilas gustativas e que deram origem a este humorístico e brilhante poema.

    Um beijinho


    ResponderExcluir
  5. ¡Holaaa, José Carlos!!!

    Bueno, has escrito un poema con mucho amor, humor y dulce -dulce, no hay más que ver ese plato; ¡Ummm y cuando está Romeo y Julieta de por medio, la casa sale redonda y excelente como tu poema.

    Mi felicitación, me ha encantado leerte, aunque no entienda del todo el idioma, intuyo lo que dice.
    Te dejo un abrazo,, mi gratitud y mí estima.

    Feliz fin de semana.

    ResponderExcluir
  6. Adorei o poema, coisa bem de férias!
    Parecem bons bolinhos.
    bjs, amigo.

    ResponderExcluir
  7. que delícia de poema com um suporte de foto que até faz salivar...

    beijinhos

    :)

    ResponderExcluir
  8. Voltei para ganhar água na boca.

    Sou gulosa assumida, não resisto a estas coisas apetitosas.

    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Pelos vistos há muita gente gulosa...
    Apropriadamente as férias têm surpresas que nos retemperam os sentidos. A renúncia da gula ao primeiro olhar pode trazer-nos satisfações sublimes.
    Muito bem feita a armação do poema.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  10. Pela foto... parecem deliciosos... não conhecia!...
    Coisas boas... que se deixam redescobrir, em tempo de férias... como esses bolinhos, da sua terra...
    Esperando que suas férias, tenham sido tão ou mais deliciosas do que esses bolinhos...
    E eu... adorei saborear o seu poema, José Carlos!
    Um grande abraço
    Ana

    ResponderExcluir