quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Três canções para uma manhã chuvosa

A chuva de Osvaldo Goeldi

I

Para aquele amor
que parecia tão leve
não faltaram palavras
delicadas

Agora, 
ao abrir a caixa
do correio eletrônico,
ele vê as contas chegando
e a dor sem anestesia
que ela deixou


II

Quando você passa
ouço sobre saltos 
os seus passos
em leves 
                    sobressaltos
balançando  
os quadris 
a dizer-me: 

 sou mi nei ra,
mi nei ra, mi nei ra, mi nei ra!  

III

Inventas passos no cascalho
lavrando horas

e o pássaro
que tens na alma
deixa escapar 

o canto 
que se esvai
na delicadeza do rio

derramando o dobre 
de uma ânsia pressentida.

(José Carlos Sant Anna)


13 comentários:

  1. "o canto
    que se esvai
    na delicadeza do rio

    derramando o dobre
    de uma ânsia pressentida."

    Muito bonito, e caiu lindamente com a obra 'A Chuva, de Oswaldo Goeldi'.
    Bjs, José Carlos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha amiga Taís,
      Sempre muito generoso o seu olhar.
      Agradeço que tenha se referido à obra de Goeldi. Serviu-me como um lembrete para o devido crédito, o que tinha deixado de fazê-lo.
      Beijos,

      Excluir
  2. À DEUSA DA MINHA RUA

    Você nem passa e escuto
    O tic-tac do salto
    Que faz vibrar o asfalto
    Como o som absoluto.

    E a chuva transmite um luto
    Que não há, mas vem do alto
    A por-me de sobressalto
    E a pisar o chão enxuto.

    Não chove dentro de mim.
    É melhor que seja assim.
    Vejo através da vidraça

    Teu vulto, de onde vim,
    Sob o lençol de cetim
    Espelhado na luz baça.

    Sant'Ana, meu arremedo de versejador à inspiração do poeta em sua cantata lírica e linda em sua ânsia pressentida.Parabéns! Grande abraço. Laerte (Silo).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagine, se este belíssimo contraponto é obra de um versejador, quando resolver poetar, será a hora me recolher ou de recolher a minha pena ou meu computador.
      Caríssimo poeta, agradeço pela belíssima intervenção. É para quem sabe brincar com as palavras.
      Forte abraço,

      Excluir
  3. Mas as tuas palavras são chuva que não molha, é poesia enxuta de passos seguros.
    Excelente, resumindo.
    Tem um bom fim de semana, caro amigo José Carlos.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. A começar pelo título, belíssimo...
    Assim, um belo e original poema se expressando
    como chuva na delicadeza dos sentires e na
    profundidade dos desejos.
    Uma rica melodia e sonoridade envolvente.

    Mais um poema com a tua assinatura, caro poeta.
    Afetuoso abraço, José Carlos!

    ResponderExcluir
  5. gostei da obra de Osvaldo Goeldi , a acompanhar o seu poema, aliás, eu os li em separado e achei que não é um mas sim três.
    melodia e palavras bem encaixadas.
    bom fim de semana.
    beijos
    :)

    ResponderExcluir
  6. Caro José Carlos não há como três, pelo menos assim os li. Cada um com o seu espaço e o seu enredo. Ou será um em três actos? De qualquer dos modos bem talhados, Poeta

    Poderei dizer?
    "quem anda à chuva molha-se".
    Acontece até aos anjos,
    arcanjos e querubins
    que espanejam as asas
    como fosse nada.
    Eu, que não sou da legião
    nem chapéu tenho.
    Gosto dela molhada.
    Venha, pois, que a tenha.

    ResponderExcluir
  7. O amor é tema para muitos bons poetas, e para outros que o querem ser (bom que queiram escrever poemas, pois sempre haverá lugar par mais um), mas talvez seja dos mais escorregadios dentre muitos temas, mas tu consegues tratá-lo com distinção e respeito, como vemos num Drummond, num João Cabral, numa Cecília Meireles. Penso que dirias aos iniciantes: “cuidado quando fores cantar o amor”. Parabéns, José Carlos.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  8. A delicadeza dos poemas. Maravilhoso, amigo. Parabéns.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. entre o
    sublime e o
    cotidiano....


    [contém 1 beijo]

    ResponderExcluir
  10. Delicioso este cantar do poeta. Meu amigo, passei, para lhe desejar um Natal muito Feliz, com muita saúde, paz e muito amor, junto de quem mais ama. Beijos muito carinho

    ResponderExcluir
  11. Três poemas leves e de leitura deliciosa... mas que revelam a profundidade do sentir... tal como as lágrimas feitas de chuva...
    Três encantadoras pérolas poéticas...
    Beijinho
    Ana

    ResponderExcluir