sábado, 11 de novembro de 2017

Lúdico



Por onde andei?
Perdi o pato,
perdeu a moça!

Perderam-se também as palavras,
e o poema ficou entalado
na garganta.

Aí veio a moça e disse:
“Não faz mal
esse pato passou, virá outro”

Talvez a moça tenha razão!

Um pato que passa é como o amor
depois que o primeiro passa,
virão outros. É só esperar...

"Mas cada perda
tem o seu significado na vida",
diz para os seus botões!

E assim ele sobrevive ao luto
e a espera que outro pato passe!

José Carlos Sant Anna

14 comentários:


  1. Por certo terão outras oportunidades. Eu diria então, antes ou após doloridas perdas, que virão outras moças e mais patos. Sempre haverá solução para buscas incansáveis e para as dores da alma. E cada moça, cada pato deixarão marcas, umas hilárias, outras dramáticas que, colocando na balança, seus saldos surprenderão. Mas o que será, será...
    Adorei o "Lúdico"! Porém lembrei de uma músiquinha antiga, José Carlos, uma graça, vê lá se lembras...
    https://www.youtube.com/watch?v=WEjnLwoLTRw

    ResponderExcluir
  2. há-de passar, há-de passar - o pato!
    tudo passa, até a dor das perdas. e dos danos!

    forte abraço, caro José Carlos

    ResponderExcluir
  3. José Carlos

    nem sei como comentar, mas você me apanhou de surpresa.
    quero dizer que foi uma surpresa boa.
    e pensar que um simples pato nadando em circulo despoletou essa pérola de poesia, então tenho de procurar uma pata ou um cisne quem sabe?!
    muito obrigada...fiquei deveras agradecida e senti-me como o pato ou a pata...
    bom final de domingo
    beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  4. Em tempo!
    Com a surpresa nem ouvi a música, ouvi agora.
    Também gostei!
    beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  5. Tudo passa, mas as coisas boas ficam.
    Tenha um excelente domingo!!

    ResponderExcluir
  6. Tudo passa, tudo passará... mas o amor de verdade é eterno.
    Beijos José Carlos e boa semana.

    ResponderExcluir
  7. A perda. A luz a alagar o olhar de quem espera. O amor: pássaro que voa em círculos a anunciar uma imprevisível alegria...
    Como gostei de ouvir a Bethânia!
    Uma boa semana, meu Amigo.
    Um beijo.
    Um

    ResponderExcluir
  8. Tudo passa meu amigo. Há-de passar com o tempo ou é só um tempo que passa? Engano nosso...o tempo passa mas a mágoa fica, ainda que se jure que não. Boa semana e beijos com carinho

    ResponderExcluir
  9. E assim vamos nós a perder 'o pato'
    e como o lúdico nos acalma ! _ninguém reclamou! rs
    Saudade de ti, JC

    ResponderExcluir

  10. E de lutos e perdas, e também de patos e de outros fados se fazem os dias.
    Temos de ir fazendo para sobreviver, seja qual for a circunstância.

    ResponderExcluir
  11. Boa noite Jose Carlos!
    Gostei muito do poema.
    Eu penso que a moça tem razão... É só esperar!
    Um beijo!
    Continuação de boa semana!
    Tem postagem por lá amigo.

    ResponderExcluir
  12. Tudo passa no tempo... e contudo, tudo o que por nós passa... de alguma forma fica...
    Cada perda, tem o seu significado... e talvez de perda em perda... a gente lá encontre, o que valerá a pena achar... dar finalmente o devido valor... e saber conservar... o que até aí... provavelmente deixaríamos passar...
    Adorei o poema... e a magistral Bethânia!
    Beijinho! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  13. Eu, pato, percorri a "triologia" ao contrário, em contra mão, como gosto.
    É mania velha a de ler, jornais e revistas, às arrecuas, parágrafo a parágrafo, à cata da "coisa".
    Gostei imenso, amigo.

    ResponderExcluir