quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

UTOPIAS II




Se eu soubesse quase a desistir
o que o olho da agulha vê,
furtivo,
entre o tecido e a linha,
ao se dar à luz a forma do vento 

Se eu soubesse quase a enxergar
o momento em que a íris 
respira pelos beirais do manto 

e depois, também, ao longo do dia  
como se a primeira vez fosse, 
até em braile eu lhes contaria... 

Ah, se eu soubesse.... Se eu soubesse...

(José Carlos Sant Anna)

10 comentários:

  1. Olá, José Carlos!
    Há tanta coisa que eu gostaria de saber mas ainda não sei. Será que vou descobrir algum dia? Não sei mas a vida é um aprendizado constante!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Almejado sonho!
    Ah tudo seria perfeito, realizável!seria bom?
    não sei _ se souber me conta JCarlos :))

    ResponderExcluir
  3. Ah, se eu soubesse...
    que o tempo passa e não é feito para bobagens,
    Se eu soubesse que o perdão nos traz a paz,
    Se eu soubesse que a felicidade está na simplicidade,
    Se eu soubesse que ter muitos amigos, na verdade não se tem muito,
    Se eu soubesse que engolir sapos, na verdade é engolir saúde, não há choques,
    Se eu soubesse que nosso melhor amigo somos nós,
    Se eu soubesse que um elogio, por menor que seja, poderia tirar alguém da insegurança,
    Ah, se eu soubesse antes o que sei agora, eu também teria sido mais feliz.

    Beijo, querido amigo, poeminha que dá o que pensar.

    (poeminha no sentido do tamanho - adorei)

    ResponderExcluir
  4. O Poeta "ousou" ir além da Palavra, subverteu o óbvio
    ...e o Poema fez-se!

    Poema cintilante, em sua "obscura claridade"!

    forte abraço, meu caro amigo,

    ResponderExcluir
  5. Realmente José Carlos, o que buscamos? Ah! se nós soubéssemos ...
    Não desistimos. Quase nos aproximamos do clarão.

    Excelente poema.

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  6. fica a dúvida e adensa o mistério do que não nos é permitido saber
    e o poema ficou assim a modos de melodia a ser cantada
    gostei
    bom domingo
    beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  7. Manusear assim as ideias e encontrar dentro de si mesmo a vertigem inquietante das palavras mais que suspeitas...
    Magnífico, meu Amigo.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  8. E tu sabes...qual poeta encantado e fadado a gritar sentires e vontades que só tu sabes.

    Muito belo!

    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Um belíssimo poema que transmite o sentir no
    tato da alma e a Poesia é um portal deste
    sentir profundo, sublime e belo!...

    Uma semana maravilhosa para ti, meu caro amigo.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  10. Ai, se a gente soubesse!... Será que estaríamos prontos para aguentar a falta de expectativa?... O espírito humano, precisa de insatisfação permanente, para se auto-alimentar... e crescer...
    Se calhar... o melhor... é a gente, nem querer saber... :-D
    É na expectativa e na possibilidade... que a vida acontece... e floresce...
    Um pequeno poema... que nos oferece um mundo, sobre o qual pensar... belíssimo trabalho, José Carlos!
    Beijinho
    Ana

    ResponderExcluir