terça-feira, 24 de abril de 2018

Sobre os trilhos






Vou, sim, vou
digo ao ouvir o terno chamado
do alto da janela do trem
ao subir colinas edênicas
anunciando chuvas benfazejas

Vou, sim, vou
banho tomado e mala pronta
cavalgando manhãs
repisando sonhos
antes que os caminhos se fechem

Vou, sim, vou
urdindo meus calendários
em madura felicidade
na clave do comboio sobre os trilhos
à espera de auroras sossegadas

Vou, sim, vou
já nada me dizem os longes
porque sei que a moça me espera 
com afagos e carícias
para os mais longos amanheceres. 

(José Carlos Sant Anna)





segunda-feira, 16 de abril de 2018

Minha procura



Para Rita Vieira, minha cunhada

Desde então é possível fazer
sem nenhum arrependimento
este pequeno ato:

buscar os rastros das palavras
invisíveis nas árvores
desnudas
abatidas
pilhadas
calcinadas
como se não pudéssemos
deixar o mundo em silêncio

mas 
o que eu não sabia
é que no poço mais fundo
desse matadouro, tu eras 
a minha elipse

sabotando  o meu sono
enquanto eu me alongava
na folha em branco do teu silêncio. 

(José Carlos Sant Anna)

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Utopias V






Por quanto tempo
o calor ata a minha língua 
na canícula da manhã em transe

enquanto o escambo com o vento
põe-me de pé, ébrio de sol,
velando
o sono matinal das nuvens

que jamais nos pertenceram
embora deixem a terra mais fecunda

Ajeito-me, então, no leito
de pedras flageladas pelo céu 
coberto por alentos de vinho branco

enquanto a minha voz 
em conluio
com a nudez das minhas mãos
encena uma farsa para o lúbrico sol.

(José Carlos Sant Anna)


Tive o privilégio de ter um poema publicado ou republicado por uma amiga portuguesa chamada Ana Freire, no seu blog artandkitsblogspot. Dona de um sensibilidade imensa, vale a pena conhecer os seus textos e, sobretudo, as belíssimas fotografias que o seu mágico olhar vai velando e desvelando para os seus admiradores. Ela é uma anfitriã de alta estirpe. Este é o endereço do seu blog: http://artandkits.blogspot.com.br