domingo, 19 de abril de 2020

Casa antiga



Mesmo sem cisco
meus olhos amanheceram 
vazados, 

gotejando retalhos 
da tua sombra pelo caminho

mais um dia 
em que as horas  
se prolongam crestadas!

Só o bailado leve das avencas
em meu abstrato jardim

À espera de que este hiato 
derrube os muros do tempo 
para não enferrujar a saudade! 

(José Carlos Sant Anna)

20 comentários:

  1. Bom dia. Poeticamente profundo. Gostei muito de ouvir Roberta Sá. Não conhecia o video

    Tenha uma semana abençoada

    ResponderExcluir
  2. gotejando retalhos
    da tua sombra pelo caminho

    Iba a decir que goteando quedo yo después de leer tu poema (y temo cómo pueda ser entendido, risos). Goteando melancolía, delicadeza, sensibilidad... No puedes imaginar cuántas veces lo leí antes de comentar, y aún no encuentro las palabras dignas para tu poema. Sólo las ganas de acariciar(lo).

    Beijos, muitos

    ResponderExcluir
  3. Os muros deste tempo cruel hão-de ser derrubados. E os olhos ficarão embaciados de ternura pelos abraços que voltaremos a dar…
    O seu poema, de uma extrema delicadeza é muito belo e inspirador.
    Uma boa semana com todos os cuidados.
    Um beijo meu Amigo José Carlos.

    ResponderExcluir
  4. as avencas, pois caro!...
    há sempre um jardim que nos salva
    e nos mantém à tona!...

    "humano, demasiado humano"! logo, lúcido e belo.
    teu poema

    fraternal abraço, meu amigo

    ResponderExcluir
  5. Te leo y padezco de esa melancolía... miro el baile de las hojas en un amago de jardín y siento envidia de su libre vuelo.

    Un placer leerte, José Carlos.

    Mil besitos para tu día.

    ResponderExcluir
  6. Un poema repleto de nostalgia.
    Abrazos cariñosos.

    ResponderExcluir
  7. Tão terno e delicado, as metáforas são lindas, mas são só dos poetas...
    Gostei muito, José Carlos. Tudo vai passar e os dias voltarão a florir.
    Uma boa semana, e cuide-se.
    Beijo!

    "mais um dia
    em que as horas
    se prolongam crestadas!"

    ResponderExcluir
  8. Um dia a saudade acalma
    mas enferrujada nunca
    um dia o sol curará a nossa mágoa
    e nem o vento trará nenhum cisco

    e nenhuma lágrima inundará o imenso mar

    um dia...o caminho será ornamentado de petalas

    Um poema belíssimo embora bastante nostalgico.

    beijinhos

    :)

    ResponderExcluir
  9. Esperando este paréntesis
    derribar los muros del tiempo.

    Que no quede nada en pie que suponga una barrera.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  10. Seu poema ecoa em mim nostálgico.
    ... ah talvez devesse ser poeta e saber expressar esse 'bailado' das avencas que só teima marejar meus olhos toda vez que te leio.
    abraço Jcarlos

    ResponderExcluir
  11. Sem muros nem amos
    contra todos os vírus

    ResponderExcluir
  12. Um poema algo nostálgico mas sem sombra de dúvida de rara beleza.

    Da Roberta Sá, tive o prazer de já a ter visto ao vivo e é sempre uma ótima escolha.

    Abraço e boa semana

    ResponderExcluir
  13. Sentida melancolía en versos. Saludos.

    ResponderExcluir
  14. É fogo de palha não. É melodia verdadeira que se espalha na eira. Canção que emerge do ambiente e letra que se ajusta docemente.
    Nossa! A saudade é magia plena. Bem portuguesa!

    Um beijo, meu amigo José Carlos.

    ResponderExcluir
  15. Nostálgico, meu caro José Carlos?
    Há fogos que nos esperam, por mais que os muros espartilhem. Relembrá-los é, ao fim e ao cabo, uma forma de os manter vivos.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  16. Gostei muito do blogue. Escolhas muito boas (musicais) com que me identifico.
    Poema magnífico!
    Um beijo

    ResponderExcluir
  17. Que tal blogar mais um pouquinho? rs

    ResponderExcluir
  18. Ai, esta saudade... de nós mesmos... tão presente nos nossos abstractos jardins interiores... onde a sensibilidade permanece, balanceando em cada folha das vulneráveis avencas da alma... e nós... sem sabermos ainda, como foi que nos perdemos... por entre os ponteiros e dissabores do tempo...
    Um puro encanto, este poético e nostálgico sentir, que adorei descobrir e apreciar por aqui!...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderExcluir