segunda-feira, 22 de junho de 2020

Maré alta


Em cada nó de marinheiro
uma secreta alquimia
desengrinalda
as ondas,
os sais,
os sargaços,
dessentindo nuvens
e marés
que nos invadem plenamente
sem ter nosso amor
ignorado. 

(José Carlos Sant Anna)

19 comentários:

  1. Simplesmente maravilhoso. Poema magistral. Deliciei o meu ego a ler

    Cumprimentos
    Boa noite

    ResponderExcluir
  2. Para um mareante de altas vagas, a recompensa é a dobrar...

    Grande abraço, JC

    ResponderExcluir
  3. Poema marinero de nudos poéticos, bello. Saludos.

    ResponderExcluir
  4. Delicadeza. Lo dice la canción, lo dice tu poema... Deliciosa delicadeza.

    Pienso en la marea alta y visualizo un arrebato de furiosa pasión, el amor a manos llenas, la profundidad en la que zambullirnos sin miedo a dañarnos...

    Y esos versos finales, "...sem ter nosso amor ignorado", son la garantía de una travesía segura, esté como esté la mar.

    Me hiciste recordar que hace años escribí un poema titulado "Marea baja", que por supuesto no es tan bello como el tuyo, pero podría ser una contraparte (risos). Creo que lo buscaré y lo republicaré.

    La canción, que conocí hace poco, es el complemento perfecto

    Beijos, muitos

    ResponderExcluir
  5. Son los testimonios de una vida en la mar... Una preciosidad de conjunto, José Carlos.

    Mil besitos y muy feliz semana.

    ResponderExcluir
  6. Precioso poema me encantó.
    besazo al alma y te cuento que por falta de tiempo ahora tengo un blog NECTARIO AZUL en el que publico con menos frecuencia pero sigo aquí entre ustedes.
    Muakkkk.

    ResponderExcluir

  7. Bravo, poeta!

    Um belíssimo poema, o seu “Maré Alta”, meu amigo José Carlos Sant’Anna, poema que eu gostaria de tê-lo escrito.

    Uma boa quarta-feira.

    Grande abraço, caro José Carlos.

    ResponderExcluir
  8. Isso é bom!
    Um poeminha com uma química preciosa,despercebendo as altas marés sem ignorar o tempo das delicadezas e incitando'todo o sentimento'que ainda pode e deve existir em nós.
    Aplausos,querido amigo.

    ResponderExcluir
  9. Por isso nos seguramos às tábuas com nós de marinheiro para que essa secreta alquimia nos envolva no azul...
    Tão belo!
    Um beijo, meu Amigo José Carlos.

    ResponderExcluir
  10. Mergulhar neste cenário é deixarmo-nos invadir pelo canto do mar, como quem se ata de vontade.

    Beijos, caro amigo José Carlos.

    ResponderExcluir
  11. JC


    O meu pai dizia sempre
    Há vários nós de marinheiros
    Uns são fáceis de fazer
    Outros nem tanto
    Mas são sempre difíceis
    De desfazer se forem bem-feitos
    Em cada nó que se faz
    Eu fecho os olhos para melhor concentração
    Em cada um que se desfaz
    Talvez não tivesse sido feito corretamente

    Em cada nó
    Um desejo
    Em cada porto
    Uma imagem de mulher


    ©Piedade Araújo Sol

    ResponderExcluir
  12. todas as viagens cansam, não é verdade, amigo
    ficam. no entanto, as ondas e os sais
    e a pele mais curtida!

    poema de excelência, caro amigo

    caloroso abraço

    ResponderExcluir
  13. Em alguns, corre-lhes o mar nas veias, mas

    o seu coração continua ardente...

    Quiçá ligado com nó de marinheiro...

    Nesta cidade, vivo rodeada de mar e sinto-o

    intensamente, pelo que, gosto

    deste poema de modo especial.

    Beijo, estimado amigo, desejando dias bons.
    ~~~

    ResponderExcluir
  14. Gosto muito desta conjugação de poema e música. Ainda que ambos não se completem fazem sempre uma bela parceria.

    Os nós de marinheiro têm algo de poder mágico e só eles os sabem desatar. Belo poema cheio de sabor a mar e a mistério, José Carlos.

    Beijos e um feliz fim de semana.



    ResponderExcluir
  15. Como escutei sobre esse nó de marinheiro, e que bem feito jamais desata! Mas sabe muito bem disso quem mora no litoral ou quem é mais íntimo dele. Respeito o mar, meu amigo, como ninguém! Há nele infinitos mistérios que me intimidam.
    Belo poema, e linda música, fui escutando enquanto dissecava o pequenino, mas grande poema.
    Beijo, José Carlos, um bom fim de semana, em casa, meu amigo! Não dê chance, quanto mais giramos, mais o vírus se propaga.

    ResponderExcluir
  16. Nudos de marinero que afianza ese amor.
    Abrazos cariñosos

    ResponderExcluir
  17. Boa tarde!

    Desejo-lhe um bom resto de fim de semana.

    Saudações poéticas!

    ResponderExcluir
  18. Mergulhando nesta refrescante inspiração, sentido o aroma de mar... e amor...
    Mais uma dupla perfeita... em forma de música e palavras...
    Parabéns, José Carlos! Beijinhos! Continuação de um óptimo Agosto, com tudo correndo pelo melhor, aí desse lado!
    Ana
    Ana

    ResponderExcluir