quarta-feira, 10 de junho de 2020

Sorrateiro




Depois de extrair
um anacoluto 
da rocha 
deixei-o rolar 
cintilante 
como um papo surreal
de vanguarda
numa esquina paradisíaca
da rua dos prazeres

e, distraído,
como se falasse
ao telefone,
fiz,

(por não encontrar o senhor  
que nos governa
em torno de palavras
vazias), 

um cálculo aritmético 
sobre a argila
de como contrariar regras
para achatar 
a curva da solidão
por meio de oníricos delírios.

(José Carlos Sant Anna)

18 comentários:

  1. Sedutor de ler, poeticamente falando
    Gostei muito do instrumental do vídeo
    .
    Tenha um dia amoroso
    Cumprimentos

    ResponderExcluir
  2. Tan reflexivo como bonito a la hora de expresar, mi buen amigo. Me ha gustado mucho ese paralelismo "como una charla surrealista"

    Mil besitos con cariño y feliz día, José Carlos.

    ResponderExcluir
  3. Eso de hacerme la distraída se me da bastante bien cuando algo no me interesa.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  4. O caro amigo José Carlos Sant’Anna brinda-nos com este seu inquietante poema, da melhor qualidade, que merece mais de uma leitura.

    Uma boa quinta-feira, que certamente será um feriado bem diferente dos outros anos, José Carlos.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  5. Las reglas se hicieron para romperse. Saludos a la distancia.

    ResponderExcluir
  6. Me gusta lo furtivo (eso es sorrateiro, según el traductor). Le da una atmósfera de prohibido, de oculto a lo que sigue y eso ya suena a promesa. Y los últimos seis versos parecen cumplirla.

    Confieso que en los últimos tiempos me alimento de oníricos delirios y estoy bastante satisfecha con mi dieta (risos). Me gusta mucho (más) este final, porque contribuye a aplanar esa curva de una soledad que parecía exponencial.

    He leído varias (bastantes) veces tu poema. A cada lectura fue entendiendo más (o eso creo) y he llegado a imaginarte "amasando la arcilla", casi verte. Y no sé por qué pensé que era por la tarde.

    Muitos beijos, muitos

    PD. No me extraña que evites encontrar a ese "senhor" (tal vez le quede grande este nombre)

    ResponderExcluir
  7. Ah! Hermosa la música y especialmente bello el título "Pedacinho do céu"

    Mais beijos

    ResponderExcluir
  8. JCarlos

    intrigante e inquietante
    e sedutor
    além de sorrateiro

    boa metáforas

    beijinhos

    :)

    ResponderExcluir
  9. uff... um anacoluto e tanto, caro José Carlos!
    metido "en su sitio"! como bandarilheiro exímio no cachaço da besta.
    ou enfiado como "chuço" pela boca (ou o contrário, tanto faz rss)
    do tal "senhor" que fazes questão de não nomear, nem sequer ver.

    grande abraço, meu amigo

    ResponderExcluir
  10. É, sinto também inquietação, estamos meio que perdidos, talvez abandonados, sei lá, José Carlos. Só sei que há várias curvas para achatar antes de enlouquecermos. Talvez o melhor é total alienação! Ou sonhar com coisas que jamais imaginamos, bem surreais como temos visto por aqui.
    Beijo, saúde!! Cuide-se.

    ResponderExcluir
  11. Gostei de "contrariar regras para achatar a curva da solidão por meio de oníricos delírios." Como se o caminho mais largo do pensamento resvalasse para a deriva de um enredo onde se arrisca a vida a cada passo neste barro que somos…
    Um beijo enorme meu Amigo José Carlos. Muita saúde.

    ResponderExcluir
  12. Pairando sobre as coisas, manipulando cenários como quem pinta uma tela inovadora. Mas que é isso, José Carlos? Qual a fonte para tamanha inspiração? Parabéns, meu amigo.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  13. Quem não entra em "oníricos delírios" num tempo em que perdemos o caminho?
    Prodigiosa imaginação, caro amigo José Carlos! Por aqui há sempre uma clareira.

    Um beijo.
    Neste blogue há sempre uma nova estrada.

    ResponderExcluir
  14. Pela «esquina paraidíaca da rua dos prazeres»...
    A solidão não se deve solucionar com sonhos delirantes, mas com ação.
    Srrsssss...
    Belíssima inspiração, estimado Poeta.
    Bom fim de semana.
    Beijo

    ResponderExcluir
  15. Uma maravilha na sugestão temática e no ritmo que dança!

    Beijo de boa noite.

    ResponderExcluir
  16. Também venho chegando sorrateiramente,seguindo a trilha da'rua dos prazeres'_ e enquanto a curva da solidão existir zero de abraços por aqui rs
    E, prossigamos entre mandos e desmandos.
    Fica bem,te cuida bem Jcarlos e obrigada pela gentileza de sempre.

    ResponderExcluir
  17. Sorrateiro... e deliciosamente assertivo... sobre o senhor do desgoverno... que pretende contornar todas as regras, se lhe for dada oportunidade... para declarando o caos... reforçar a sua autoridade...
    Brilhante inspiração poética, José Carlos!
    Beijinho
    Ana

    ResponderExcluir