quarta-feira, 15 de julho de 2020

Ao amanhecer



Ela foi dormir com uma lágrima furtiva. Pelo que se foi era salgada, porém pequenina, embora a tivesse deixado com o coração magoado. E, sob os lençóis, enquanto dormia, em seus sonhos, apareceram e desapareceram mil corcéis pelas extensas planícies dos seus desejos, onde tudo principia, em fogo único, compondo uma água clara, já esquecida do rancor, no apelo de braços abertos. Ao amanhecer, depois dos sonhados caminhos na noite de delírios amorosos, ela se surpreendeu ao ver-se de unhas aparadas, cutículas feitas, enquanto uma traça se escondia entre as dobras do colchão. 
(José Carlos Sant Anna)

17 comentários:

  1. Maldita traça que (também) gosta de unhas, lol
    .
    Cumprimentos

    ResponderExcluir
  2. Los sueños son un buen lugar para que se haga realidad lo que despiertos es imposible y sólo nos provoca lágrimas.

    Precioso tu texto, José Carlos. Y la canción que lo acompaña me gusta mucho. Es una de las que escucho con cierta regularidad desde hace meses y le tengo un cariño especial (como a otras de tu país).

    Muitos beijos, muitos

    ResponderExcluir
  3. Um amanhecer de duplo encantamento, José Carlos!
    A sua prodigiosa imaginação ao serviço da prosa poética, juntamente com as vozes macias de Carminho e Marisa Monte, quais nuvens de algodão doce. Lindo!

    Bem que eu gostaria de ter também uma traça manicure, assim laboriosa.
    Ainda ontem fui fazer as unhas. Já viu quanto eu poupava?

    Um beijinho e mil sorrisos, com votos de tudo de bom e belo em sua vida, Amigo Poeta/Prosador dos Sonhos Mil! :)

    ResponderExcluir
  4. Na noite de delírios amorosos, a extensa planície do desejo a fazer-se fogo e a explicar o inexplicável... Magnífico, assim como o dueto que nos deixou ouvir aqui.
    Um beijo. Proteja-se meu Amigo José Carlos.

    ResponderExcluir
  5. Siempre llega ese amanecer que se muestra como un estreno mientras miramos lo pasado, lo ya olvidado y muerto. Precioso, José Carlos. Me ha encantado el uso de tus metáforas.

    Mil besitos con cariño y muy feliz día.

    ResponderExcluir
  6. O que dizer deste seu conto, “Ao amanhecer”, caro amigo José Carlos Sanat’Anna? Primeiro, que a minha primeira leitura pediu-me uma segunda leitura, esta feita com vagar, buscando alguma mensagem perdida nos desvãos da narrativa; segundo, para recomendar aos seus leitores, nossos amigos, que façam o que eu fiz: não se conformem com a leitura, pois se faz necessário a releitura. Um conto de verdadeiro craque. Parabéns.

    Um ótimo final de semana, José Carlos.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  7. Oi amigo,
    meus amanheceres estão mais para'lágrimas furtivas,que sonhos vividos.
    E vir te ver independe se no amanhecer ou anoitecer,é o melhor ritual para ler você em prosa verso e sons.Obrigada,pelo sentido apurado.
    fica o abraço

    ResponderExcluir
  8. Quando o José Carlos se liberta, algo de bom e criativo acontece.
    Bom, muito bom.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  9. da noite para o dia
    e uma furtiva lágrima se desdobra
    encanto e fantasia ...

    nas dobras do colchão
    e a traça fada madrinha

    forte abraço, Poeta

    ResponderExcluir
  10. Hola!!! Muy lindo post. Te cuento que tenía un blog que se trancó y tuve que hacerme otro: poesias1973.blogspot.com
    Te espero allí.
    Besos al alma.

    ResponderExcluir
  11. âs vezes o sono nos traz o sonho
    e se o adormecer foi com uma lágrima
    pequenina
    o sonho trouxe um sorriso maior que a lágrima
    maior que o sono

    bom domingo
    Beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
  12. Nessa pandemia os sonhos não se fazem tão presentes, alguns pesadelos gostam de dar o ar de sua graça, também. Ao amanhecer tudo melhora.
    E esse vídeo, José Carlos, que joia! Que lindo dueto.
    Postagem de luxo, Professor! Gostei muito do texto poético, da lágrima furtiva, da traça escondida...
    Meu amigo sempre muito criativo, muito poeta.
    bjs, até mais!

    ResponderExcluir
  13. Belíssimo dueto!

    E essa noite de delírios prazerosos só poderia proporcionar um despertar de sonho.

    Beijos, meu amigo José Carlos.

    ResponderExcluir
  14. Maravilhoso como sempre. Perco-me nos corredores do sentir ao ler tão bela escrita. Estou a tentar voltar. Beijinhos amigo com muito carinho

    ResponderExcluir
  15. Te dejo un abrazo, mientras muerdo mis uñas... 😉
    Hasta pronto.

    ResponderExcluir
  16. No momento... e vendo bem... a gente só consegue controlar mesmo nossas unhas... nesta incógnita de vida... bem menos controlável e definível do que antes... uns roendo... outros pondo uma capa colorida de plástico... para dar cor aos caos... da vida... ou das unhas...
    O presente... sublimemente bem traçado... neste pedacinho de emoção concentrado em tão belo e assertivo sentir...
    E maravilhoso o dueto...
    Delicioso este belo amanhecer, por aqui, José Carlos!
    Beijinhos... saúde e esperança, em outros amanheceres mais promissores...
    Ana

    ResponderExcluir