segunda-feira, 17 de agosto de 2020

Bilhete



Tudo era tão perfeito
quando você se aninhava
em meu corpo viajado
para dizer-me quanto era amor
os sonhos e as canções
que nos enleavam em balões de alegria
até que os dias se apagaram
tão de repente pelos caminhos
dos escritos delirantes
e dos labirintos interiores
sem deixar que as labaredas,
as chamas se extinguissem
no mundo de estampas
em que estivemos cativos
sem sombra a separar-nos.

(José Carlos Sant Anna)


16 comentários:

  1. Bello tu sentir poético amigo. Siempre es un gusto leerte. Saludos.

    ResponderExcluir
  2. El amor sincero se escribe con todo el cuerpo y este aleja la oscuridad y atrae el brillo inmaculado de los amantes.

    Mil besitos y feliz noche, José Carlos.

    ResponderExcluir
  3. Olá, meu amigo José Carlos Sant Anna, o poeta!
    Mas quanto sentimento profundo, que lindo amor há nesse poema e que você expressou tão bem, 'professor'. E nada morreu, um grande amor nunca morre.
    Aplausos sempre! Gostei muito de ler 'Bilhete'. A música é linda desde sempre.
    Uma leve semana, e... fique em casa porque sairemos vivos dessa.
    Beijo, meu amigo,
    Até mais!

    ResponderExcluir
  4. Este poema atravessado por um sobressalto retira a linguagem do seu uso íntimo para a transformar na linguagem discreta do amor, com contornos que se movem entre a luz e a sombra. Maravilhoso! Para ser habitado por quem ama as palavras...
    Muita saúde, meu Amigo José Carlos.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. Meu caro, desconfie sempre da exactidão. Mesmo que embrenhado nas mais emocionantes canções, reserve sempre, na manga, uma carta para se surpreender, pois o limite está muito para lá de nós.
    A sua escrita continua a ser motivante. Parabéns!

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  6. Jovial e mavioso bilhete em que o amor enredado em labirintos consegue encontrar a luz, pavio que seja. Por aqui a poesia é caminho aliciante.
    E este poema parece viajar a gosto com os "O de casa".

    Belo post.

    Um beijo, meu amigo José Carlos.

    ResponderExcluir
  7. Las sombras que parecen separar son también las que unen, aunque no podamos ver nada en ellas. Tal vez nada haya cambiado, sólo que ahora está a oscuras. O tal vez esto sólo sea un deseo.

    He escuchado varias veces la canción, complemento perfecto a un poema que no sólo me parece hermoso, sino que me conmovió profundamente.

    Las adicciones no se dejan de un día para otro.
    Te extraño.

    Beijos, muitos

    ResponderExcluir
  8. tudo tão perfeito que os deuses
    por pura inveja estragaram...

    poema também ele a raiar a perfeição.

    grande abraço, meu Caro Poeta
    e meu distinto amigo

    ResponderExcluir
  9. Lindíssimo! Adoro Caetano e Mônica Salmaso! Ótima escolha.

    ResponderExcluir
  10. Thank you for sharing this wonderful post keep your awesome work
    Food Blog vietnamese Food is known to be both healthy and flavorful thanks to the rich combination of fresh herbs and green vegetables combined with rice, noodles, seafood, pork and beef. .. I'm a food blog

    ResponderExcluir
  11. Que viva o equilíbrio na assimetria

    ResponderExcluir
  12. Livre da rigidez normativa, um belo poema ritmado e belo!

    Beijo

    ResponderExcluir
  13. Um bilhete perfeito
    cheio de sentires

    gostei!

    bom domingo!

    beijinhos

    :)

    ResponderExcluir
  14. As perfeiçoes evocam coisas belas e boas.Tem quem diz que quem é belo é belo aos olhos e basta .Mas quem é bom é subitamente belo.
    _'o que amamos é sempre um símbolo' Daí a impossibilidade da perfeição.Os bilhetes funcionam como nossas memórias poéticas.E como gosto de bilhetes! eles perfumam e alegram o dia.

    ResponderExcluir
  15. Boa noite amigo Jose Carlos,

    Um poemeto profundo e transbordante de sensibilidade, um bilhete amoroso que relata a solidez do amor.Gostei de ler e aplaudo de pé!

    Boa noite de paz!
    Abração!

    ResponderExcluir
  16. Um daqueles bilhetes... para ser lido e relido... com um perfeito sentir poético!... Bem de acordo, com os tempos que atravessamos...em que nossos dias, ficaram apagados tão de repente... e transfigurados em algo... que todos os dias, se procura definir e redefinir, um pouco mais...
    Como sempre, adorei cada palavra!... Todas elas muito bem acompanhadas, pela fantástica escolha musical... que se me proporcionou reapreciar este conhecido tema, com uma nova roupagem!...
    Beijinhos! Bom fim de semana, José Carlos! Tudo de bom, por aí!
    Ana

    ResponderExcluir