quinta-feira, 15 de julho de 2021

Exercícios breves para alongar

 



I
por detrás

da meia lua do seu rosto

uma menina perspicaz,

que sabe o que diz,

e sabe o que faz.

II

Quando as cotovias festivas
cantam ao entardecer
as arcadas 
são mais claras em sua beleza
no encanto da paisagem 

e no pulsar do anoitecer.

III

Um tesouro,

é o que tens para hoje?

 

É tempo, de resguardá-lo 
de olhos sequiosos

em destras acrobacias

a querer alcançá-lo despudoradamente

por caminhos tortuosos. 


                         (José Carlos Sant Anna)


12 comentários:

  1. Uauu!
    Uma poesia que é um verdadeiro chamamento para o lúdico. Os versos surgem da contemplação da "menina perspicaz, que sabe o que diz, e sabe o que faz", E termina com uma advertência : resguarde o teu tesouro, porque olhos sequiosos estão a querer alcançá-lo despudoradamente. Fantástico!!
    Já foi dito que grandes poetas são seres especiais, que têm antenas mágicas que captam os mistérios que nos envolvem. Você José Carlos Sant Anna, é um deles. Além dos mistérios, você capta sinais. ( risos)

    Beijos docemente Lu....dicos!!!

    .

    ResponderExcluir
  2. Eu fico aqui a noite inteira ouvindo esse jazzista tocando trompette com essa voz rouca maravilhosa e essa canção azul _ concordo que é tempo de resguardar também dos sonhos sempre temos que dizer' boa noite porque a noite acaba, e não podemos escapar dela'
    E, vou ficar mais um pouquinho aqui me alongando diante do teu poema que se se assemelha tão bem com a beleza do som _ indiferente se já acabou ou não. rs
    Obrigada e boa noite ,amigo querido.

    ResponderExcluir
  3. Qualquer tesouro deve ser resguardado...
    Excelente poema, gostei muito. Parabéns pelo talento poético.
    Bom fim de semana, caro José Carlos.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Que bom é ouvir Chet Baker! Entretanto uso as suas palavras para alongar o corpo e deixar passar por ele as festivas cotovias e, com olhos sequiosos, guardar para mim o tesouro da paisagem antes que alguém despudorado ma cobice. Tão belo, meu Amigo José Carlos!
    Tenha um bom fim de semana. Cuide-se bem.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. Ler esses breves exercícios e escutando Chet Baker não dá para pôr defeito em nada, meu amigo! Bem pelo contrário, tudo se encaixa numa bela harmonia. Belo poema, José Carlos!
    Um ótimo fim de semana, cuidando-se!
    Beijos

    "Quando as cotovias festivas
    cantam ao entardecer
    as arcadas
    são mais claras em sua beleza
    no encanto da paisagem
    e no pulsar do anoitecer."

    ResponderExcluir
  6. Si se tiene un tesoro hay que cuidarlo. Saludos amigo.

    ResponderExcluir
  7. Esta música por si só, já é um exercício de alongamento e relaxamento.
    Depois o poema meu amigo, onde a menina mulher que sabe o quer, se resguarda e aguarda, por caminhos claros e abertos.

    Obrigada por este momento de puro fascínio.

    um beijinho

    ResponderExcluir
  8. Il brano di Baker è splendido, ha reso le tue parole ancor più magiche, complimenti.
    E' stato un piacere visitare la tua pagina.

    ResponderExcluir
  9. Um tesouro é seu poema, meu amigo José Carlos. E deste "Almost blue" não consigo separar-me.
    É de alto nível este espaço-

    Abraço.

    ResponderExcluir
  10. A música é linda. Seu poema também. Lembrei de um poema meu, bem mais simples: "A olho nu"


    Mergulhei em teus olhos,

    bem lá no fundo.

    A menina do teu olho

    me olhou de volta,

    mesclada,

    colorida,

    furta-cor.



    Solange Firmino

    ResponderExcluir
  11. Num passeio por aqui, alongando o coração com a beleza do trompete do exímio Chet Baker e da poesia também linda do meu amigo mais querido, só para a tarde ficar quase azul enquanto 'as cotovias festivas cantam ao entardecer' .
    Gosto da sua escrita, particularmente dessa 'menina perspicaz'.
    Parabéns, JCarlos
    e que tal voltar a blogar?
    Abraço

    ResponderExcluir
  12. Descobri tarde este lugar, onde mora a poesia e amúsica que me encanta.

    ResponderExcluir